Carlos Brandão autoriza início de obra

Em mais uma agenda positiva, o vice-governador Carlos Brandão autorizou, nesta quarta-feira (9), início da obra do Ginásio Georgiana Pflueger (Castelinho), em São Luís.

Com o secretário de Estado do Esporte e Lazer (Sedel), Rogério Cafeteira, Brandão assinou ordem de serviço que contempla investimentos de mais de R$ 22 milhões.

Com um projeto de engenharia tecnológico e inclusivo, a nova praça esportiva contará com vestiários, banheiros, academia, alojamentos, sala vip, área de administração, lanchonete, área de paisagismo, sinalizações, estacionamento, acessibilidade e iluminação.

O vice-governador Carlos Brandão pontuou sobre os esforços realizados pelo Governo do Maranhão em garantir ações e projetos que gerem incentivo ao esporte, aliado a geração de renda para o povo.

“Este é o momento em que o Governo do Maranhão se destaca não somente por ações de combate à Covid-19, mas, em algo que consideramos fundamental para estes tempos de crise: gerar emprego e renda. Com um investimento de R$ 22 milhões, estamos propiciando novas oportunidades ao setor da construção para, no contexto ideal, entregarmos à população um ginásio perfeitamente adequado aos diversos públicos e finalidades”, comentou.

Felipe Camarão no jogo da sucessão

Prestes a deixar o Democratas, o atual secretário de educação do Maranhão, Felipe Camarão, pode ser o candidato a vice-governador numa chapa com Carlos Brandão (PSDB) em 2022.

Nos bastidores, fala-se numa filiação do auxiliar do governador Flávio Dino ao Partido dos Trabalhadores.

Independentemente da sigla em que esteja, no entanto, existe um consenso sobre essa movimentação de camarão: ela representa uma importante baixa para o senador Weverton Rocha (PDT).

O pedetista também quer ser candidato a governador no ano que vem, e tem no DEM um de seus mais importantes aliados nesse projeto.

Nesse caso, Rocha teria em Camarão um forte nome também para compor chapa, ou uma liderança de destaque na formação de uma bancada na Câmara dos Deputados.

Com um dos principais secretários de Dino fora do seu projeto, Weverton perde grande potencial de discurso. E vê reforçada a tese de que a candidatura oficial do governador é mesmo a de Brandão.