Adriano Sarney anuncia que disputará eleição em 2022

O deputado estadual Adriano Sarney (PV) rompeu um período em silêncio e confirmou, nesta segunda-feira, 19, que seguirá na política.

A blog do jornalista Diego Emir, ele afirmou que continuará no PV, mas adiantou que pode tentar, se não uma reeleição, uma vaga na Câmara dos Deputados.

“Sou presidente do PV. Vou continuar no partido e sou candidato a estadual ou federal, vai depender das definições das regras eleitorais”, afirmou.

Adriano Sarney (PV) acrescenta que a possibilidade de lançar-se candidato a deputado federal tem a ver com uma pretensão nacional do partido.

Lourival Serejo mantém posição firme em defesa da votação eletrônica

Por Ribamar Corrêa

Com o peso da responsabilidade de quem deve comandar as eleições do ano que vem no Maranhão, o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Lourival Serejo vem se colocando na linha de frente dos magistrados que erguem barricadas contra a tentativa do presidente Jair Bolsonaro de desacreditar e modificar o já testado e atestado sistema de votação eletrônica brasileiro, hoje uma referência para países de todos os continentes.

Em conversa com colegas e outros interlocutores, expondo sua experiência e seriedade, uma vez que não tolera desvios de qualquer natureza e em qualquer segmento da máquina pública, a começar pela eleitoral, o desembargador Lourival Serejo afirma, categórico, que o sistema de votação eletrônica é seguro, à prova de fraude e que eleição lhe são acrescidos mecanismos que o tornam cada vez mais seguro e confiável.

Não vê razão para se gastar R$ 2,5 bilhões para dotar o sistema desse dispositivo, que não tem nenhuma razão de ser.

Isso significa dizer que, por ele, nada será mudado no sistema de votação eletrônica.

A redenção de José Sarney diante de ex-adversários…

Roberto Rocha com Sarney: caminho parecido com o de Bolsonaro e Lula nas últimas semanas

Do presidente Jair Bolsonaro ao petista Luiz Inácio Lula da Silva – passando pelo governador Flavio Dino e pelo senador Roberto Rocha – todos se curvam à serenidade, à experiência e à história do ex-presidente do Senado e da República, numa espécie de mea culpa coletiva

Análise de conjuntura

Nos últimos dias, o ex-presidente José Sarney (MDB) tem vivido uma espécie de redenção da classe política brasileira.

Maior político vivo da história da República, do alto dos seus 91 anos, e sem disputar eleição desde 2006, ele passou a ser uma espécie de referência ética, de serenidade e de experiência para políticos de todas as matizes ideológicas.

Nas últimas semanas, recebeu o ex-presidente Lula (PT) e o presidente Jair Bolsonaro – duas vezes – além do ex-ministro José Dirceu e do senador maranhense Roberto Rocha (sem partido).

Todos estes políticos, em alguma época já estiveram do lado de Sarney e  já lhe fizeram oposição, algumas absurdamente injustas do ponto de vista histórico.

Mas não é de hoje que Sarney vem recebendo espécies de “mea culpa” dos políticos brasileiros.

Flávio Dino tirou o termo “oligarquia” do discurso e passou citar cada vez mais Sarney como exemplo de democracia no país

Em 2018, o governador Flávio Dino (PSB), que se elegeu em 2014 com o discurso anti-sarney, decidiu abolir o termo “oligarquia” do seu discurso e buscou uma aproximação com o ex-presidente que vem se consolidando ao longo dos últimos anos.

Curiosamente, Dino e Dirceu protagonizaram um episódio com o então  grupo Sarney, em 2004, quando o então ministro convenceu a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) a lançar o então juiz como candidato a prefeito de São Luís, pelo PT.

O fato só não se consolidou por que correntes do PT – hoje no próprio governo Dino, se manifestaram contra o agora governador; o episódio já foi, inclusive, tema do blog Marco Aurélio D’Eça, ainda em 2014, no post “Dino e sua relação histórica com os Sarney…”.

Roberto Rocha, que chegou a publicar foto ao lado do ex-presidente e da esposa, Marly, lembrando os quase 70 anos de casamento, também foi duro com Sarney ao longo dos últimos 25 anos, embora tenha vivido toda a infância e mocidade – assim como Dino – nos corredores do Palácio dos Leões.

Até o ex-governador José Reinaldo Tavares, protagonista da maior traição política da história do Maranhão, já tentou reaproximar-se de José Sarney.

De qualquer forma, a peregrinação de políticos à casa do ex-presidente é um justo reconhecimento ao mais importante político do país desde a sua redemocratização.

E melhor ainda que isso esteja ocorrendo com ele em vida.

Para que ele possa regozijar-se de seu legado…

Roberto Rocha visita José Sarney em BSB: “em se tratando de Sarney, conversamos de política”

O senador Roberto Rocha visitou, nesta segunda-feira (12), o ex-presidente José Sarney em Brasília.

De acordo com Rocha, que está sem partido e ainda não sabe se é candidato a governador ou senador, as conversas com Sarney, cacique do MDB, giraram em torno da política e da Zema.

Na semana passada, foi a vez do presidente Jair Bolsonaro fazer uma visitinha a José Sarney. Logo depois, o ex-presidiário José Dirceu também esteve na casa do ex-presidente.

A seguir, o que postou o senador maranhense sobre o encontro com Sarney.

Bodas de Mercúrio

Já se vão quase 20 anos que Sarney e Dona Marli completaram Bodas de Ouro. Hoje fazem 69 anos de casados, ou Bodas de Mercúrio. Uma data e tanto para celebrar junto aos filhos, netos e bisnetos!

Fiz questão de vir até a casa onde moram, aqui em Brasília, para prestar minhas homenagens e meus respeitos.

Claro que, em se tratando de Sarney, conversamos de política também. E a ZEMA foi o prato principal, afinal uma antiga aspiração do presidente que finalmente será realizada, passados tantos anos de resistências.

Falei das modificações e aperfeiçoamentos que fizemos para adaptar o modelo antigo para os novos tempos. Uma Zona de Exportação que será capaz de transformar a dinâmica econômica do Maranhão, inserindo nosso Estado na lógica arrojada do capitalismo mais moderno.

Vida longa a Sarney e Marli!

Roseana lidera Escutec em Coelho Neto; Weverton tem o dobro de Brandão

Pesquisa que avaliou a aceitação do prefeito Bruno Silva mediu também a opinião do eleitor sobre a corrida eleitoral de 2022 e apontou que o senador do PDT é o aliado do governador Flávio Dino mais bem posicionado na disputa

A pesquisa do Instituto Escutec que mediu a gestão do prefeito Bruno Silva, em Coelho neto, apontou também que o senador Weverton Rocha (PDT) é o aliado do governador  Flávio Dino melhor posicionado na disputa de 2022.

De acordo com os números da Escutec, a ex-governador  Roseana Sarney (MDB) tem nada menos que 45% das intenções de votos no municípios.

Atrás dela aparece Weverton, com 12%, quase o dobro das intenções de votos no vice-governador Carlos Brandão (PSD), que aparece com 7%.

O senador Roberto Rocha (sem partido) registra 6%, Josimar de Maranhãozinho (PL), 4% e Simplício Araújo (Solidariedade) registra 2%, seguido de Edivaldo Júnior (PSD) e Lahésio Bonfim (PSL), com 1% cada.

Senado

A pesquisa Escutec também mediu a preferência do eleitor sobre o Senado, mostrando que o governador  Flávio Dino tem 49% das intenções de votos.

A adversária mais próxima de Dino é Roseana Sarney, que aparece com 25%; o atual ocupante da vaga, Roberto Rocha, tem apenas 8% de intenção de votos.

A Escutec deve divulgar nos próximos dias levantamentos realizados  também nos municípios de Turiaçu e de Codó…

Dino diz que MA seguirá no caminho da honestidade com Brandão

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), voltou a tecer elogios públicos ao seu vice-governador, Carlos Brandão (PSDB).

Durante evento em Viana, ao mencionar seu parceiro de chapa desde as eleições de 2014 – que assumirá o comando do Estado a partir de abril de 2022 -, o socialista fez referência ao fato de que, com Brandão, o Maranhão poderá seguir no trilho “da honra, da honestidade, da decência”.

FLÁVIO DINO, WEVERTON, BRANDÃO… REUNIÃO DO FAZ DE CONTA

A reunião entre Flávio Dino e líderes aliados, incluindo aí os principais postulantes ao cargo de governador no grupo governista, não produziu nenhum efeito novo no cenário sucessório. Como diria Lampedusa: mudar tudo para continuar tudo como estava, ou, no popular: tudo como dantes no quartel de Abrantes. Isto significa que Weverton e Brandão vão continuar medindo força nesse cabo de guerra, tensionando uma corda já à beira da exaustão. O jogo do faz de conta continua.

O governador Flávio Dino faz de conta que comanda o jogo e que tem a vara de condão para manter o seu grupo unido. O Weverton Rocha faz de conta que é comandado e obedece o líder incondicionalmente. O Carlos Brandão faz de conta que vai rezar exclusivamente pela cartilha do seu professor e professor de Deus, mas sabe que um depende do outro simbioticamente. Enquanto isso, todos sabem que não há mais cartas na manga que se mantenham em segredo, não há mais Coelho na cartola: as últimas eleições municipais revelaram todos os truques dos Mandraques pretendentes ao trono, todos de cabeças de fora.

Enquanto isso, ninguém desconhece que nesse Game Of Trone tupiniquim, a partir da largada, que já foi dada, só restam as cordas a serem esticadas a cada dia, até se arrebentarem nas mãos do governador, impotente diante da ruptura, expondo a fratura de um grupo inevitavelmente rachado.

Um efeito bumerangue, já que o governador Flávio Dino demorou muito a pôr os pés no chão, enquanto sonhava em conquistar os céus do Planalto, e tal qual o filósofo Tales de Mileto, tropeçou em um buraco. Não muito longe desse cabo de guerra, espreitando, lobos famintos traçam suas estratégias para entrarem também nesse jogo de bola dividida, de caça aos votos sem curral. Isso tudo acontecendo, sem combinar com o povo, ou com os russos, como diria Garrincha.

Exata: Roseana lidera com 29%; Weverton tem 19%, Roberto Rocha 10%, Edivaldo 8%, Brandão 6%; Dino lidera para o Senado

Pesquisa Exata, divulgada pelo programa Ponto e Vírgula, nesta sexta-feira (2), mostra a liderança de Roseana Sarney para o Governo do Maranhão. No cenário estimulado, ela pontua com 29%, seguida do senador Weverton Rocha, que tem 19%. O senador Roberto Rocha é o terceiro com 10%. Em quarto lugar está o ex-prefeito Edivaldo Jr. com 8%. O vice-governador Carlos Brandão alcança 6%. O deputado Josimar Maranhaozinho tem 5%, Dr. Lahesio Bonfim 4%, Simplício Araújo 2%. Nenhum/Branco/Nulo somou 7% e Não sabe/Não Respondeu 10%.

Para o Senado, o governador Flávio Dino lidera com folga com 41%. Logo em seguida, está a ex-governadora Roseana com 23%. O senador Roberto Rocha possui 12%, Edivaldo Jr. 5%, Josimar Maranhãozinho 4%, Othelino Neto 4%. Nenhum/Branco/Nulo somou 5% e Não sabe/Não Respondeu 6%.

Rejeição

A maior rejeição é da ex-governadora Roseana Sarney. 40% dos entrevistados disseram que não votaram de jeito nenhum nela. Em seguida vem o deputado Josimar Maranhaozinho, que tem 24% de rejeição.

A pesquisa foi realizada entre os dias 23 e 28 de junho e ouviu 1418 entrevistados em todo o Maranhão. A margem de erro é de 3,2% para mais ou para menos e confiabilidade de 95%.

Cenários

A difícil situação eleitoral de Flávio Dino….

Embora quase unanimidade para o Senado entre os aliados, governador precisa, ao mesmo tempo, unificar a base e ainda impedir a criação de novas frentes de oposição para que mantenha a imagem nacional de líder inconteste em seu estado

Faltando pouco mais de 1 ano para as eleições de 2022, o governador  Flávio Dino (PSB) vive uma inusitada situação: ao mesmo tempo em que lidera todas as pesquisas para o Senado, vive um risco eleitoral sem precedentes na montagem da chapa aliada.

Além de tentar garantir a unificação da base em torno de um candidato escolhido por ele – o que se torna cada dia mais difícil – Dino tem de evitar o surgimento de candidatos na oposição.

Sua indecisão, no entanto, além de criar arestas já quase intransponíveis na própria base, começa a estimular o surgimento de pelo menos quatro frentes diretas de oposição com chances vencer as eleições.

Líder em todas as pesquisas de intenção de votos, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) pode reunir uma frente de remanescentes do sarneysismo, com PSD e PV.

Outra frente oposicionista pode surgir a partir da aliança entre o senador Roberto Rocha (sem partido) e o prefeito de São Pedro dos Crentes, Dr. Lahésio Bomfim (PSL).

Além disso, começa a ganhar corpo o projeto de candidatura do ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior, por um partido da base do governo Bolsonaro, que pode ser o PSD ou o PTB; ou os dois.

Se, além destas forças, Flávio Dino não conseguir convencer o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) a lançar candidatura, serão quatro frentes diretas contra ele em 2022.

E se continuar o racha na própria base for iminente, o governador – que estará sem mandato a partir de abril – será o alvo direto de cinco ou seis frentes.

Um risco e tanto para quem precisa da imagem nacional de líder inconteste no próprio estado…

Fonte: Marco D’eça

Roseana assume o comando do MDB do MA nesta sexta-feira (02)

O deputado estadual Roberto Costa confirmou que a ex-governadora Roseana Sarney vai assumir o comando do MDB do Maranhão a partir desta sexta-feira (02).

A tendência, de acordo com o parlamentar, é de que a ex-governadora dispute uma cadeira na Câmara Federal.

“É claro que tendo Roseana liderando as pesquisas para o governo não podemos descartar a possibilidade, no entanto, essa não é nossa prioridade, nosso compromisso e formar grandes bancadas na Câmara Federal e Assembleia Legislativa e teremos a ex-governadora como grande puxadora votos”, disse Costa.

A convenção do MDB ocorrerá de forma híbrida a partir das 9h, na sede do Diretório Municipal.