FLÁVIO DINO, WEVERTON, BRANDÃO… REUNIÃO DO FAZ DE CONTA

A reunião entre Flávio Dino e líderes aliados, incluindo aí os principais postulantes ao cargo de governador no grupo governista, não produziu nenhum efeito novo no cenário sucessório. Como diria Lampedusa: mudar tudo para continuar tudo como estava, ou, no popular: tudo como dantes no quartel de Abrantes. Isto significa que Weverton e Brandão vão continuar medindo força nesse cabo de guerra, tensionando uma corda já à beira da exaustão. O jogo do faz de conta continua.

O governador Flávio Dino faz de conta que comanda o jogo e que tem a vara de condão para manter o seu grupo unido. O Weverton Rocha faz de conta que é comandado e obedece o líder incondicionalmente. O Carlos Brandão faz de conta que vai rezar exclusivamente pela cartilha do seu professor e professor de Deus, mas sabe que um depende do outro simbioticamente. Enquanto isso, todos sabem que não há mais cartas na manga que se mantenham em segredo, não há mais Coelho na cartola: as últimas eleições municipais revelaram todos os truques dos Mandraques pretendentes ao trono, todos de cabeças de fora.

Enquanto isso, ninguém desconhece que nesse Game Of Trone tupiniquim, a partir da largada, que já foi dada, só restam as cordas a serem esticadas a cada dia, até se arrebentarem nas mãos do governador, impotente diante da ruptura, expondo a fratura de um grupo inevitavelmente rachado.

Um efeito bumerangue, já que o governador Flávio Dino demorou muito a pôr os pés no chão, enquanto sonhava em conquistar os céus do Planalto, e tal qual o filósofo Tales de Mileto, tropeçou em um buraco. Não muito longe desse cabo de guerra, espreitando, lobos famintos traçam suas estratégias para entrarem também nesse jogo de bola dividida, de caça aos votos sem curral. Isso tudo acontecendo, sem combinar com o povo, ou com os russos, como diria Garrincha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *