Flávio Dino contraria Bolsonaro e continua com obrigatoriedade do uso de máscaras no MA

O governador Flávio Dino afirmou que continuará valendo o decreto estadual, de setembro de 2020, que determina a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais públicos e de uso coletivo e que veda aglomerações.

Independentemente de eventuais orientações nacionais, no Maranhão permanece e permanecerá em vigor, enquanto necessário for, a norma que determina o uso de máscaras em locais de aglomeração pública. Esta é uma proteção à população“, afirmou.

De acordo com o governador, “é absolutamente falaciosa a versão segundo a qual quem teve a doença não terá novamente”. “Isto é mentira. Não há eficácia de 100% nas vacinas”, asseverou Dino, ao ressaltar que, por isso, não há horizonte de curto prazo de retirada da obrigatoriedade de máscaras no Maranhão.

O baixo número de pessoas completamente vacinadas contra a Covid-19 (cerca de 11% da população) e a alta taxa de transmissão do vírus, com a média móvel de novos casos da doença acima de 50 mil por dia, não permitem que a população deixe de usar as máscaras neste momento —incluindo os que já receberam algum imunizante ou já foram infectados pelo Sars-CoV-2.

Ontem, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que pediu ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, um “parecer” para desobrigar o uso de máscaras por quem estiver vacinado contra a Covid ou por quem já tiver contraído a doença. O ministro informou ter recebido do presidente o pedido de um estudo sobre as máscaras, mas especialistas ouvidos consideram a medida uma temeridade neste momento crítico da pandemia de Covid no Brasil, pois mesmo os vacinados podem transmitir o novo coronavírus para outras pessoas.

Nesta sexta-feira, Bolsonaro disse que caberá a seu auxiliar, a prefeitos e a governadores dar a palavra final sobre o assunto.

“Ontem [quinta-feira (10)] pedi para o ministro da Saúde fazer um estudo sobre máscara. Quem já foi infectado e quem tomou a vacina não precisa usar máscara. Mas quem vai decidir é ele, vai dar um parecer. Se bem que quem decide na ponta da linha é governador e prefeito. Eu não apito nada, né? Segundo o Supremo, quem manda são eles. Mas nada como você estar em paz com a sua consciência”, disse Bolsonaro a jornalistas na entrada do Palácio da Alvorada antes de embarcar para uma agenda no Espírito Santo.

Braide vira meme por empenho na vacinação em São Luís

O sucesso da vacinação contra Covid-19 em São Luís tem ampliado o destaque da gestao Eduardo Braide (Podemos).

Além do reconhecimento do trabalho por lideranças políticas dos mais diferentes matizes políticos, uma prova desse êxito são os memes que circulam pela internet exaltando a postura do gestor da capital maranhense.

Nas bem humoradas postagens, Braide é o “Maníaco da seringa”, ou o “Homem da seringa”.

Brincadeiras à parte, a vacinação em São Luís avançou muito desde a chegada de um lote extra de imunizantes, logo depois de atendidos pacientes com a cepa indiana do novo coronavírus.

Com um estoque gigantesco de vacinas de repente em mãos, a gestão Braide precisou aumentar o número de pontos de vacinação e ajustar uma logística que, hoje, garante a aplicação de quase 20 mil doses por dia.

Flávio Dino realiza Arraial da Vacinação para pessoas a partir de 29 anos

Com o êxito da primeira edição do Arraial da Vacinação na Ilha, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), realizará neste fim de semana a segunda edição do evento. O novo Arraial da Vacinação é mais uma ação de apoio aos municípios da Grande Ilha, para acelerar a vacinação contra a Covid-19.

Nesta edição, a programação no drive-thru do estacionamento do Pátio Norte Shopping, localizado na Estrada de Ribamar, terá início na sexta-feira (11), às 19h, e acontecerá até às 12h do domingo (13). A vacinação tem como público-alvo, pessoas a partir de 29 anos dos quatro municípios que compõem a Grande Ilha: São José de Ribamar, Paço do Lumiar, Raposa e São Luís.

O anúncio foi feito pelo governador Flávio Dino em suas redes sociais na última quarta-feira (9). “No Pátio Norte é só chegar e vacinar. Ainda ouve as músicas das nossas festas juninas e ganha mingau de milho. Serão 41 horas consecutivas de vacinação”, anunciou o governador.

Assim como na primeira edição, a parceria com a Secretaria de Estado da Cultura (Secma) vai permitir que, enquanto aguarda a sua vez de vacinar, o público aprecie apresentações típicas do período junino.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, a expectativa é de que sejam imunizadas pelo menos 7 mil pessoas, durante esta segunda edição do evento.

“Na primeira edição do arraial, tivemos um público muito alto na madrugada. Só nesse período foram quase duas mil pessoas vacinadas. E isso é muito bom, pois mostra que a aceitação da população está sendo muito boa”, destaca o secretário.

Para a vacinação, além de ter 29 anos ou mais, é necessário apresentar documento com foto, comprovante de residência, cartão de vacinação e cartão do SUS. Na primeira edição do evento, foram 28 horas ininterruptas de vacinação contra a Covid-19. Durante o período, foram aplicadas 4.885 doses de vacina contra a Covid-19.

Governo erra o tom e campanha contra a CoVID choca mais do que alerta

A imagem impactante do governo maranhense: dor e tristeza a quem já está sob dor e tristeza pela perda para o coronavírus

Vídeo entoado pelo clássico “Naquela Mesa”, de Sérgio Bittencourt, tinha o objetivo de alertar para o riscos de perdas para o coronavírus, mas apenas machuca quem já está sofrendo pela morte de um ente querido

Análise de conjuntura

O impacto é fulminante.

A campanha do Governo do Estado sobre a CoVID-19 mostra famílias enlutadas sofrendo com a falta de parentes à mesa, sob o som de “Naquela Mesa”, de Sérgio Bittencourt.

Mas, se o governo esperava conscientizar para os riscos de exposição ao coronavírus, a campanha teve um efeito colateral agressivo às famílias que perderam entes queridos para a doença.

– Naquela mesa “tá” faltando ele/E a saudade dele “tá” doendo em mim – é o refrão da canção.

Copiado de uma peça publicitária do Governo da Bahia, a peça não tem qualquer impacto sobre quem precisa ser conscientizado; mas – quase onipresente na TV – amplia a dor de quem está enlutado.

As críticas já ganharam as redes sociais e há quem defenda denunciar o uso inadequado de um clássico da música brasileira.

O que não dá para discordar é que o governo errou ao mão com o comercial…

Fonte: Marcos D’Eça

São Luís passa de 500 mil doses aplicadas

São Luís ultrapassou na noite de quarta-feira, 9, a marca de 500 mil doses de vacinas contra Covid-19 aplicadas desde o início da campanha de imunização.

Até agora, foram aplicadas 515.701 doses dos imunizantes.

A meta foi comemorada pelo prefeito Eduardo Braide (Podemos), que destacou o fato de ela haver sido alcançada no Dia Nacional da Imunização.

“E hoje, no Dia Nacional da Imunização, São Luís chega a marca de mais de MEIO MILHÃO de doses aplicadas! Gratidão a todas as nossas equipes e parceiros. Vocês são top”, escreveu o gestor no Twitter.

Para chegar a esse total, a Secretaria Municipal de São Luís (Semus) vacinou mais de 18 mil pessoas em menos de 24h.

Othelino fala sobre durante sessão a eficácia das vacinas

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), fez um alerta, na sessão plenária desta quarta-feira (9), para que se evite causar pânico na população sobre a eficácia das vacinas contra a Covid-19. O pronunciamento do parlamentar sobre o tema foi feito após discursos dos deputados Dr. Yglésio e Zé Inácio, em torno da eficiência dos imunizantes Coronavac e Sputnik.

O chefe do Legislativo enfatizou a importância de confiar nos especialistas. “A preocupação do deputado Yglésio é pertinente. Mas, certamente, os profissionais de saúde, especialmente os pesquisadores, estão acompanhando essa questão específica da Coronavac. E nós precisamos ter cuidado, claro, para não gerarmos um pânico nas pessoas que tomaram a vacina e elas acharem que estão absolutamente desprotegidas”, observou Othelino.

Para ele, essa discussão ainda vai durar por um bom tempo. “Os imunizantes contra o coronavírus foram produzidos muito rapidamente, então, a cada período que passa, nós vamos lendo análises diferentes com relação a uma ou outra vacina”, frisou. O parlamentar disse ainda que a discussão só terá uma solução prática a partir de uma nova definição no Plano Nacional de Imunização.

“A provocação do assunto, claro, é útil, mas que essa discussão seja travada mesmo de forma científica para que, caso seja necessário, possa efetivamente ser alterada de maneira que não só os idosos, mas todos nós estejamos protegidos com essa vacina, como defendeu com muita ênfase o deputado Yglésio, que, aliás, trouxe algumas informações importantes sobre o tema para todos nós”, finalizou.

Campanha ajuda pequenos empreendedores prejudicados pela pandemia

Com o agravamento da crise sanitária causada pela pandemia de Covid-19, a Ferinha São Luís precisou suspender suas atividades, desta forma os pequenos empreendedores ficaram incapazes de gerarem qualquer renda. Para amenizar essa situação difícil dessas famílias, a Feirinha tem promovido lives para arrecadar cestas básicas.

Solidário a essa causa o Instituto Ecobio lançou a campanha “Faça o bem que o resto vem”, no intuito de somar forças com a coordenação do programa, nessa jornada de boa fé e esperança. A ideia da Ecobio além de ajudar na arrecadação de alimentos que serão destinados aos pequenos empreendedores; é de reforçar o espírito de solidariedade na sociedade e renovar a consciência de responsabilidade coletiva por um bem comum. A Ecobio quer despertar nas pessoas o sentimento de empatia pelo próximo.

Você pode doar o valor da cesta básica, que está custando R$50,00, por meio de transferência bancária ou PIX, mas se preferir entregar em mãos a sua doação, o instituto vai estar de portas abertas, basta entrar em contato .

Juntos vamos desenvolver o senso da partilha e assim podemos ser referência de sociedade participativa. Se fizermos a nossa parte, podemos despertar no resto do mundo uma percepção maior em relação ao contexto social do qual estamos passando. O mundo não está legal e o que você tem feito pra mudar isso?

Faça o bem que o resto vem!

Doações.

PIX : 12.057.572/0001-96

Agência: 5057-9
CC:  253-4

Contato :
098984740523-  Ecobio
09881433509- Comunicação- Annielle Pimentel.

Endereço: Rua H20, Quadra 20, Casa 01, Parque Shalon

Flávio Dino acompanha mutirão da vacinação

Mais uma alternativa para vacinação contra a Covid-19, o Governo do Estado montou drive-thru no Pátio Norte Shopping, em Paço do Lumiar, para o Arraiá da Vacinação, mutirão de vacinação 24 horas. Iniciado no sábado (5), o mutirão prossegue até meio-dia deste domingo (6), imunizando ininterruptamente. Na noite do sábado, o governador Flávio Dino foi conferir os atendimentos. Vacinantes foram premiados com apresentação e CD do Boi de Nina Rodrigues, um estímulo à cultura maranhense, unida à prevenção contra a doença.

Na ocasião, Flávio Dino visitou o drive-thru, conversou com profissionais e vacinantes e acompanhou a apresentação da brincadeira junina. “O mais importante é a mobilização, o conceito de mutirão, a divulgação que essa ideia propicia, para que as pessoas se sintam motivadas a procurar o imunizante, pois ele é vital para a proteção à vida e à saúde e para que possamos vencer o coronavírus, virar essa página e a sociedade funcionar plenamente. O coronavírus atrapalha a economia, o emprego e a vacinação, nesse momento, é a tarefa mais urgente que temos”, frisou o governador.

Houve apresentação de grupos juninos durante a vacinação (Foto: Karlos Geromy)

Com o Arraiá da Vacinação, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) reduziu a faixa etária do público-alvo. Devem comparecer ao drive-thru, no estacionamento do Pátio Norte Shopping, pessoas com idade a partir de 38 anos, residentes nas cidades de São José de Ribamar e Paço do Lumiar. É necessário apresentar documento com foto, comprovante de residência, cartão do SUS e cartão de vacinação. Os grupos culturais permanecem, durante toda a vacinação, se apresentando com a temática junina.

Todos os protocolos são seguidos durante a vacinação. As pessoas vacinam em seus veículos e tanto profissionais, quanto as pessoas que vão se imunizar, devem utilizar máscara e usar álcool em gel. O Arraiá da Vacinação contabilizou a aplicação de 1.706 doses da vacina contra a Covid-19, até às 18h30 do sábado (5).

Também estiveram presentes durante a visita do governador ao espaço, a subsecretária da SES, Karla Trindade, e o presidente da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh), Marcos Grande.

Governador Flávio Dino ouviu os diversos profissionais que tornaram possível o mutirão de vacinação (Foto: Karlos Geromy)

Arraial em mais municípios

O mutirão de vacinação 24 horas se estenderá a outros municípios, informou o governador Flávio Dino, e mantendo a participação dos grupos juninos maranhenses. Com a iniciativa, a gestão estadual reforça o apoio às manifestações culturais juninas, que por conta da pandemia não podem manter suas atividades. Paralelamente, estimula ainda mais a vacinação contra a Covid-19.

“Essa iniciativa é também uma forma de lembrarmos a identidade cultural do povo do Maranhão, que passa muito fortemente pelas festas juninas. Portanto, o Arraial da Vacinação será uma iniciativa permanente, em face do sucesso que vemos e se estenderá a outros municípios”, disse o governador, anunciando Timon como a próxima cidade a receber a iniciativa estadual.

Vacina Sputnik V deve chegar em julho, afirma Flávio Dino

As primeiras doses da vacina Sputnik V contra a Covid-19 estão previstas para chegar ao Brasil no mês que vem, de acordo com o governador do Maranhão, Flávio Dino, após uma renegociação do contrato assinado entre os estados do Nordeste e o Fundo Russo de Investimento Direto, responsável pelo desenvolvimento da vacina.

No momento, governadores descartam ir ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar aumentar a quantidade a ser importada. A decisão, segundo Dino, foi tomada neste sábado (5), durante reunião dos governadores das regiões Nordeste e Norte, marcada após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizar a importação, sob condições controladas, de 928 mil doses do imunizante.

“O primeiro passo é sentar para uma reunião com os russos para fazer uma revisão do contrato. A Anvisa colocou condições que não estavam previstas no acordo, então precisamos adequar”, afirmou à CNN o governador do Maranhão, Flávio Dino.

O Consórcio de Estados do Nordeste assinou, em março, contrato por 37 milhões de doses da Sputnik V. “O contrato precisa ser readequado ao quantitativo que a Anvisa estabeleceu. E neste momento, não iremos ao STF para aumentar o número de doses autorizado”, garantiu.

A Anvisa decidiu nesta sexta-feira (4) liberar a importação da Sputnik V e da Covaxin, vacina indiana contra covid-19, mas colocou 22 condições para liberação. Além da quantidade limitada autorizada a chegar no Brasil, a agência estabeleceu grupos de pessoas que não podem receber o imunizante,  determinou que as doses que chegarem ao país passem por análise do Instituto Nacional de Controle e Qualidade em Saúde (INCQS) e demandou que estados e Ministério da Saúde esclareçam a eficácia e segurança.

Para o governador do Maranhão, que é presidente do Consórcio Amazônia Legal, não é o momento de os estados irem ao STF para tentar aumentar a quantidade de imunizantes que poderão chegar ao Brasil. “O primeiro pedido foi rejeitado, e agora aprovado sob algumas condições, então a Anvisa recuou. A decisão que tomamos hoje foi de cumprir cada uma das exigências da agência e não judicializar o assunto por enquanto”, afirmou Flávio Dino.

Em relação ao imunizante russo, a quantidade de doses será restrita a 1% da população de cada um dos seis estados solicitantes: Bahia, Maranhão, Sergipe, Ceará, Pernambuco e Piauí.

Na segunda-feira, há expectativa de outra reunião entre os governadores, com representantes da Anvisa e do fundo soberano russo para definir os próximos passos.