Estados eficientes

A verdade sempre aparece: Maranhão começa a sumir do mapa dos estados eficientes.

O jornal a Folha de São Paulo divulgou hoje um relatório em que aparecem os cinco estados brasileiros mais eficientes na utilização dos recursos públicos. O resultado mostrou a verdade e o Maranhão não figura na relação. Sinal de que a mentira tem pernas curtas.

 

Condições precárias de estradas no interior do Maranhão

Conforme o documento do jornal paulista, só cinco estados no Brasil gastam os recursos públicos de forma eficiente nos serviços que são prestados à população.
O relatório observou os que gastam menos para ter mais jovens nas escolas, médicos e leitos em hospitais, assim como os investimentos em água e esgoto, além da aplicação em rodoviais e em segurança. Onde fica o Maranhão? Tomou Doril!

Os estados que apareceram são São Paulo, Paraná, Espírito Santo, Pernanbuco e Santa Catarina. O resultado derrubou a máscara de quem saiu espalhando que o Maranhão tem o governo mais eficiente

PIS

Pagamento extra do PIS/Pasep volta a partir de hoje; saiba se tem direito 1 UOL, em São Paulo

Os trabalhadores com direito ao fundo PIS/Pasep voltam a receber os recursos da liberação extra a partir desta quarta-feira (8), e com valor maior.

A liberação extra é só para quem trabalhou entre 1971 e 1988 como contratado em empresa privada ou no serviço público (saiba mais no fim deste texto).

A partir desta quarta-feira, começam a receber os trabalhadores com conta na Caixa ou no Banco do Brasil. Quem estiver com o cadastro do fundo atualizado terá o depósito automático, mas o pagamento pode levar até uma semana para cair na conta, segundo o Ministério do Planejamento. Na próxima terça-feira (14), será liberado o saque para quem tem conta em outros bancos.

Leia também:
◾ Herdeiros podem sacar dinheiro do PIS/Pasep se o titular morreu?
◾ Existe um valor mínimo e um máximo para sacar dinheiro no PIS/Pasep?
◾ Preciso ter Cartão Cidadão para saber saldo e sacar dinheiro do PIS/Pasep?

O saque ficou liberado de 18 a 29 de junho, mas foi suspenso para cálculo de atualização do valor por causa do rendimento anual do PIS. A correção ficou em 8,97% neste ano.

Quem teve pressa e precisou sacar antes perdeu esse acréscimo e não há como recuperá-lo. Quem ainda não sacou poderá retirar o dinheiro até 28 de setembro, quando acaba o prazo da liberação extra. Depois disso, voltam as regras anteriores (veja mais abaixo).

Segundo o governo, são cerca de 17,5 milhões de pessoas que poderão sacar entre 14 de agosto e 28 de setembro.

Como saber se tem direito

Para o PIS (trabalhadores de empresas privadas)

O fundo dos trabalhadores do setor privado fica depositado na Caixa Econômica Federal.

O banco criou uma página no seu site para fornecer informações sobre o saque, como valores a receber, datas e canais disponíveis para realização do pagamento.

Nela, é possível consultar a existência ou não de saldo usando a data de nascimento e seu CPF ou o NIS (Número de Identificação Social). O NIS pode ser encontrado no Cartão Cidadão, na carteira de trabalho ou no extrato do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Para saber seu saldo no fundo, é necessário o NIS e cadastrar uma senha de internet. Há casos em que o site informa automaticamente o número NIS para quem faz a busca pelo CPF.

– Quem tem a senha do Cartão Cidadão:
◾ Acesse este site
◾ Digite seu número do NIS
◾ Clique no botão “Cadastrar Senha”
◾ Leia o contrato de prestação de serviços e clique em “Aceito”
◾ Informe a senha do Cartão do Cidadão e a senha de internet que quer cadastrar

– Quem não tem a senha do Cartão Cidadão:
◾ Acesse este site
◾ Digite seu número do NIS
◾ Clique em “Cadastrar Senha”
◾ Leia o contrato de prestação de serviços e clique em “Aceito”
◾ Preencha os dados solicitados e clique em “Confirmar”
◾ Cadastre a senha desejada e clique em “Confirmar”
◾ Se tiver o Cartão do Cidadão, faça o pré-cadastramento da senha pelo telefone 0800-726-0207. Para finalizar o cadastro, é preciso ir a uma lotérica
◾ Se não tiver o Cartão do Cidadão, será preciso ir a uma agência da Caixa

Outro canal disponibilizado para a consulta são os caixas eletrônicos, por meio do Cartão do Cidadão. Correntistas da Caixa também podem fazer a consulta pelo serviço de internet banking, na opção “Serviços ao Cidadão”.

Para o Pasep (servidores públicos)

O fundo dos trabalhadores do setor público fica depositado no Banco do Brasil. É possível consultar a existência ou não de saldo pelo site da instituição, informando o número de inscrição do Pasep (disponível na carteira de trabalho) ou o CPF e a data de nascimento. O valor da cota não é informado.

Para saber o saldo disponível, o cotista terá de ir a uma agência do Banco do Brasil e apresentar um documento oficial de identificação, como RG ou carteira de motorista (CNH).

Segundo o BB, a página só mostrará que o cotista possui saldo a partir do momento em que o recurso for liberado para saque.

Como é o pagamento

Caixa Econômica

O fundo dos trabalhadores do setor privado que são correntistas do banco cairá automaticamente na conta a partir desta quarta-feira (8), já com o rendimento.

Para quem não é correntista, as opções de pagamento dependem dos valores.
◾ Até R$ 1.500: saque no caixa eletrônico, com senha do Cartão Cidadão (o cartão não é necessário); saque em lotéricas ou lojas que sejam correspondentes bancários da Caixa (com a marca Caixa Aqui), com documento oficial com foto (RG, por exemplo), Cartão Cidadão e senha do Cartão Cidadão; transferência para a sua conta de outro banco, de graça, nos caixas localizados dentro das agências, com documento oficial com foto.
◾ Entre R$ 1.500 e R$ 3.000: saque no caixa eletrônico, com Cartão Cidadão e senha do Cartão Cidadão; saque em lotéricas ou lojas que sejam correspondentes bancários da Caixa (com a marca Caixa Aqui), com documento oficial com foto (RG, por exemplo), Cartão Cidadão e senha do Cartão Cidadão; transferência para a sua conta de outro banco, de graça, nos caixas localizados dentro das agências, com documento oficial com foto.
◾ A partir de R$ 3.000: saque apenas nos caixas localizados dentro das agências do banco, com documento oficial com foto (RG, por exemplo); transferência para a sua conta de outro banco, de graça, nos caixas localizados dentro das agências, com documento oficial com foto.

Banco do Brasil

O fundo dos trabalhadores do setor público que são correntistas do banco cairá automaticamente na conta a partir desta quarta-feira (8), já com o rendimento.

Para quem não é correntista, as opções de pagamento dependem dos valores.
◾ Até R$ 2.500: transferência para a sua conta de outro banco, de graça, no caixa eletrônico ou pelo site www.bb.com.br/pasep, com CPF e título de eleitor; saque nos caixas localizados dentro das agências do banco, com documento oficial com foto (RG, por exemplo).
◾ Acima de R$ 2.500: transferência para a sua conta de outro banco, de graça, nos caixas localizados dentro das agências, com documento oficial com foto (RG, por exemplo); saque nos caixas localizados dentro das agências, com documento oficial com foto (RG, por exemplo).

Saiba mais

O que é o Fundo PIS/Pasep?

De 1971 até 1988, as empresas e órgãos públicos depositavam dinheiro no Fundo PIS/Pasep em nome de cada um dos seus funcionários e servidores contratados. Cada trabalhador, então, era dono de uma parte (cota) no fundo.

Portanto, quem trabalhou como contratado em uma empresa ou servidor público antes de 4 de outubro de 1988 tem uma conta do PIS/Pasep.

Depois de 28 de setembro, quem poderá sacar?

Após 28 de setembro, voltam a valer os critérios habituais para o pagamento das cotas do Fundo PIS/Pasep. Quem perder o prazo só poderá sacar o dinheiro se preencher pelo menos um dos seguintes requisitos:
◾ 60 anos de idade ou mais
◾ estar aposentado
◾ invalidez
◾ câncer
◾ portador do vírus HIV
◾ doenças graves listadas em portaria interministerial do governo
◾ idoso e/ou pessoa com deficiência que recebe o Benefício da Prestação Continuada (BPC)
◾ transferência para reserva remunerada ou reforma (no caso de militar)
◾ em caso de morte do trabalhador, a família pode sacar

Quem trabalhou depois de 1988 tem direito?

Não. A partir de outubro de 1988, os trabalhadores deixaram de ter contas individuais do Fundo PIS/Pasep. Desde então, o dinheiro arrecadado vai para o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador), que é usado para pagar benefícios como seguro-desemprego e abono salarial.

Herdeiros podem sacar?

Para herdeiros de cotistas que morreram, o saque pode ser feito independentemente do calendário. Basta ir a qualquer agência da Caixa (se o titular tiver trabalhado em empresa privada) ou do Banco do Brasil (se for servidor) portando o documento oficial de identificação e o documento que comprove a condição de herdeiro, para realizar o saque.

Diferente do abono do PIS/Pasep

O saque do Fundo PIS/Pasep é diferente do abono salarial pago todos os anos para quem recebe até dois salários mínimos. Quem trabalhou pelo menos um mês em 2016 e/ou 2017 podem sacar o dinheiro do abono, que é de até um salário mínimo (R$ 954).

(Com agências)

Se não sabe responder a estas 5 questões, será difícil ficar rico

 

O PARADOXO LULA

Se a maioria dos eleitores acha  que Lula foi injustiçado na sua condenação, então Lula é bandido ou vítima de um golpe judiciário em conluio com a grande imprensa que aplaude a prisão de um inocente, só por ser do povo e estar com o povo, as classes menos favorecidas?

Eis a pergunta essencial que deve ser respondida por aqueles que   querem a nação brasileira sem as manchas da injustiça em sua consciência.

mercado de trabalho

Mercado de trabalho tem melhora lenta e dificulta orçamento doméstico (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)

 

O designer Marcos Araújo, 47, está sem trabalhar há dois anos, desde que foi demitido de uma indústria têxtil. De lá para cá, já usou todas as suas economias para pagar as contas e hoje deve R$ 5 mil para vários bancos. “Nem bicos consigo direito. Só aparece um trabalho a cada seis meses. É muito pouco”, diz. A situação dele só não é ainda mais difícil porque mora com a mãe e a irmã e, portanto, as contas acabam sendo divididas.

Histórias como a de Marcos se repetiram nos últimos anos diante da forte deterioração do mercado de trabalho. Em junho, 13,3% dos brasileiros queimaram reservas financeiras para bancar as contas do dia a dia, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

Embora a parcela de brasileiros que use recursos guardados já tenha sido maior, sobretudo quando a crise econômica estava mais intensa, os últimos meses têm mostrado uma resistência à queda do indicador e até mesmo uma leve piora.

“Havia uma esperança muito forte de que uma melhora do mercado de trabalho poderia resolver a questão do orçamento doméstico. Essa recuperação não veio e parte desses consumidores foi usando a poupança que tinha para pagar as contas”, diz Viviane Seda, economista do Ibre.

 

Lula perseguido

A ministra Rosa Weba, do STF, negou pedido do Movimento Brasil Livre para tornar o ex-presidente Lula inelegível a partir de agora. A ministra alegou que o pedido é extemporâneo. Agindo desta forma, o MBL não estaria tornando o Lula mais vítima e mitificado como perseguido e injustiçado? Por desinteligência, ou simples palhaçada do MBL, o tiro saiu pela culatra.